Monitoramento e uso adequado de tecnologias garantem sucesso no controle de percevejos na soja

Professor e pesquisador da Unesp, Geraldo Papa, falou sobre o tema em painel no Showtec 2020

Considerada a principal praga da soja brasileira, o percevejo exige dos sojicultores atenção e cuidado. Para isso, é fundamental entender a dinâmica desse inseto com o objetivo de traçar estratégias que evitem sua propagação na lavoura e, consequentemente, prejuízos no momento da colheita. O assunto foi explanado em painel realizado no Showtec 2020 nesta quinta-feira (23), em Maracaju (MS), pelo professor e pesquisador da Unesp (Universidade Estadual Paulista), Geraldo Papa.

O manejo da praga é fundamental porque ela ataca diretamente o grão. Com menos qualidade, os grãos podem ser mal classificados e o produtor pode sofrer prejuízos financeiros por conta dos descontos na hora da venda. Conforme o pesquisador, quando a soja cria as primeiras vagens, os percevejos começam a formar casais e produzem sua primeira geração. Este seria o momento ideal para a aplicação de inseticida. Mas para isso é preciso monitorar constantemente a lavoura, seja com batida de pano (que possibilita a contagem de insetos) ou outro método que permita saber o número da população da praga na área.

"No início do período reprodutivo, normalmente ocorre o ponto da primeira aplicação, e muitos agricultores acabam fazendo isso apenas quando o inseto já tomou conta da lavoura. É importante saber o ponto certo dessa primeira geração da praga para diminuir a população com bom inseticida. Dessa forma, o agricultor ganha tempo pra fazer a segunda aplicação ou, talvez, nem precise efetuá-la", explica.

O pesquisador orienta que é necessário, ainda, conhecer todo o sistema agrícola da região, respeitar o calendário de cada cultivo e o período de vazio sanitário. "Em média, devem ser feitas de 2,5 a 3 aplicações, pensando no percevejo. Vale lembrar que há de se usar de forma segura e correta os defensivos, com respeito às bulas de cada produto, pois isso é fundamental para a sustentabilidade da agricultura nas regiões tropicais", afirma.

É preciso, ainda, saber escolher o produto correto e a tecnologia precisa ser a mais adequada possível para alcançar o sucesso no controle. Também merece atenção especial o controle de pragas em plantas de final de cultivo, que atuam como "fornecedoras de pragas" para o cultivo subsequente.

Sobre o Showtec

O Showtec é uma feira anual onde são apresentados produtos e serviços ligados ao setor agropecuário, lançamentos, inovações tecnológicas, sistemas de produção, palestras técnicas e resultados de pesquisas que contribuem para a sustentabilidade do segmento. A feira é destinada aos produtores e empreendedores rurais, técnicos agrícolas, acadêmicos, entre outros, e leva informações de forma direta e aplicável.

O evento é realizado pela Fundação MS e promovido pelo Sistema Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS), Sistema OCB/MS (Organização das Cooperativas Brasileiras) e Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul), contando com patrocínio do Senar/MS, Sistema Fiems/Senai e Sicredi. O Showtec conta, ainda, com o apoio da Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação (Febrapdp), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Embrapa, Fundems, Prefeitura Municipal de Maracaju, Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Semagro, Fundação Agrisus e Sanesul.